GFT Brasil realiza evento de Open Banking com a IBM

No dia 15 de abril, realizamos o evento online “Desafios e Oportunidades do Open Banking no Brasil” em parceria com a IBM, com o objetivo de explorar desafios, soluções e resultados da implementação do sistema financeiro aberto como um grupo de trabalho, além de impulsionar os negócios e gerar oportunidades comerciais.

O painel do encontro virtual foi mediado pelo time de executivos da GFT Brasil, incluindo Carlos Kazuo, Head of Customer Innovation Solutions; Sergio Favarin, Diretor Executivo; Ranieri Mazili, Arquiteto de Soluções e Head de Digital Backoffice; e Alberto Rosati, Head of Exponential Business. Por parte da IBM, tivemos a presença de Alberto Miyazaki, Chief Technology Officer – Brazil; Wagner Arnaut, CTO IBM Cloud & Cogntive SW; e Rafael Espinha, Software Client Architect. Além da presença dos especialistas da GFT e IBM, o evento contou com a participação de executivos do Banco do Brasil: Joilson Brito, Head de Inovação da Unidade de Operações; e Raquel Castelo, Gerente de Open Banking Regulatório.

A abertura do evento foi feita por Sergio Favarin e Wagner Arnaut. Em seu discurso, Wagner falou sobre a forte transformação da sociedade e da indústria financeira que ocorre agora. Ele também destacou a importância de acompanhar as regulamentações do Banco Central em relação ao Open Banking, Pix e Sandbox.

O painel principal sobre os “Desafios e Oportunidades do Open Banking” contou com a participação de Sergio Favarin, Carlos Kazuo, Alberto Myazaki, Joilson Brito e Raquel Castelo. Nele, Joilson destacou a importância do posicionamento das empresas, ao invés de se deixarem levar pela transformação. E comentou também sobre a necessidade do mercado financeiro brasileiro ser mais unido e assim tratar o Open Banking de forma cooperativa.

Alberto Myazaki aproveitou o painel para falar sobre a importância de todos os sistemas conversarem nesse processo de implementação do Open Banking. O executivo também propôs a reflexão sobre qual papel cada instituição quer representar na vida dos seus consumidores, e salientou a relevância dos bancos serem mais transparentes e assim se encaixarem na jornada de vidas de seus clientes.

Bastante interativo, focado e direcionado ao público, o resultado foi extremamente positivo.  Os executivos tiveram a oportunidade de saber a visão de quem está do outro lado do balcão: isso porque a GFT Brasil participou ativamente da construção da proposta do Open Banking que foi apresentada pela Febraban ao Banco Central. Além disso, o público pôde elaborar e implementar um plano de governança e eleger as tecnologias ideais para garantir os melhores padrões de ponta a ponta.

É preciso estar preparado para as transformações que o Open Banking trará. Como o próprio Carlos Kazuo disse no painel, é importante saber trabalhar os dados dos clientes para poder oferecer as melhores ofertas. A implementação transformará não apenas os formatos de negócios, mas também será precursora de toda uma mudança cultural de comportamento. Diante desse cenário, estar preparado para saber aproveitar as melhores oportunidades é vital para os negócios.

Post a Comment

* indicates required