GFT Brasil realiza primeiro Hackathon Digital

O ano de 2020 trouxe grandes desafios e a maioria das atividades como aniversariantes do mês, encontros com presidente e townhalls tornaram-se digitais. Assim aconteceu também com a primeira edição do Hackathon da GFT, que foi realizado no último fim de semana, nos dias 28 e 29, totalmente online. Contamos com a presença de 45 colaboradores da GFT Brasil, 8 times e equipes de mentores e jurados.

O objetivo do evento era que os colaboradores apresentassem soluções inovadoras para melhorar processos e o dia a dia na companhia. Toda a comunicação dos times foi feita de através do aplicativo Microsoft Teams, com intervalos para breaks, com comida, música e muitos memes. Olha só:

As equipes tiveram uma playlist especial para motivá-las, com Nirvana, AC/ DC. Queen e muitos outros, olha só:

https://open.spotify.com/playlist/5ukb92koPO2Pcgxv54ztvU?si=oasPDrBlSW-DJ2RvaLFmxA

As equipes tiveram até às 15h de domingo para apresentar os códigos, mockups, wireframes e apresentação do pitch e puderam contar com ajuda dos mentores para tirar dúvidas ou pedir assistência em alguma situação. Cada time teve 5 minutos para defender seu projeto e mais 5 minutos para responder as perguntas dos juízes.  A pontuação foi dividida em abordagem inovadora (30%), viabilidade de implementação (20%), impacto nos negócios (30%), impacto humano (10%) e apresentação (10%).

Participaram do júri: Rubem Swensson, Fernanda dos Santos Rodrigues, Carlos Kazuo Missao, Manoel Pimentel Medeiros e Gabriel Cocenza Carvalho.

Depois de mais de 30 horas, o grande anúncio: a equipe PUG foi a vencedora do primeiro GFT Digital Hackathon!

O time composto por Alcino José Lincoln de Souza, Alvaro Jose Rechetelo Junior, Fulvio Estevão Burei do Carmo, Lucas Mordaski e Matheus Teles de Freitas apresentou uma solução para o desafio de reservar lugares no escritório. Como não há muitos colaboradores indo trabalhar na empresa, é preciso otimizar os espaços e garantir a segurança de todos. Cada integrante da equipe recebeu como prêmio o valor de R$ 1.000,00.

“Foi muito melhor do que imaginamos. Conseguimos formar uma equipe produtiva, com muitas ideias boas e, ao mesmo tempo, descontraída. Tivemos colegas que já haviam participado de outros Hackathons e nos ajudaram com a experiência. Utilizamos algumas tecnologias como Kotlin, Swift, Java e Flutter Web”, disse Fulvio Estevão, um dos integrantes da equipe PUG.

A equipe optou em utilizar as assistentes virtuais dos celulares para seguir com o projeto. “Tivemos um pouco de trabalho, pois treinamos a assistente para manter a conversa com o usuário, caso ela não conseguisse entender um determinado comando. O segundo passo foi conversar bastante com o celular e com a Google Home, para que não houvesse a possibilidade de não reconhecer nossos comandos. No fim, deu certo conforme esperávamos”, completa Fulvio.

O segundo lugar do GFT Digital Hackathon ficou com a equipe 6, a Millennium Falcon, que contou com a participação de André Lucas Machado de Miranda, Eduardo Luiz Cabral da Silva, Maiko Antônio da Cunha, Nysio Fontes Chrysostomo e Paulo Henrique da Cruz. Eles criaram uma aplicação capaz de agilizar os processos de staffing e integrar a comunicação entre os gestores e os profissionais. Cada integrante recebeu R$ 500,00 como premiação.

O projeto com o nome SyStaffing tinha como propósito unificar e integrar informações de cada profissional e, dessa forma, aumentar o conhecimento e as possibilidades de gerenciar os profissionais da GFT em novos projetos.

“Idealizamos uma plataforma onde nossos usuários teriam 3 perfis distintos: usuário comum, que seriam todos os profissionais da GFT e que conseguiriam visualizar vagas abertas e fazer o cadastro de suas atividades; usuário gestor, que poderia cadastrar vagas, verificar colaboradores no bench, solicitar o empréstimo desse colaborador, propor para um cliente e fazer a visualização de dashboard com gráficos interativos, com todas essas ações se tornando notificação para aprovação do pessoal de Staffing; e o usuário de Staffiing, com visualização gerencial dos colaboradores em WA, acesso às atividades e vagas cadastradas e que também poderia inserir novas posições, gerenciar todos os dados dos colaboradores em bench, aprovar ou não as solicitações dos gestores e ter visualizações de gráficos interativos sobre as estatísticas”, explica Eduardo Luiz Cabral, integrante da Millennium Falcon.

Para Gabriel Cocenza Carvalho, Head of Digital Channels e organizador do evento, a edição digital foi um sucesso. “Incrível. Se eu tivesse que resumir todo o Hackathon em uma palavra, seria essa. Foram quase 2 meses de preparação, desde inscrições, desafios, kits de participantes e mentores, mas cada minuto valeu a pena no final. Ver 45 pessoas, muitas que nunca trabalharam juntas, engajadas com o mesmo propósito, trabalhando durante mais 30 horas em um fim de semana foi muito gratificante”, disse Cocenza.

Agradecemos a todos os participantes do nosso primeiro #GFTDigitalHackathon e aguardem novidades para 2021!

Post a Comment

* indicates required