Bons Product Owners X Ótimos Product Owners


Ser o dono de um produto é uma responsabilidade grande e exige diversas habilidades. Nós, Product Owners, nos deparamos diariamente com muitos desafios e, na maioria das vezes, a melhor estratégia para lidar com eles não é a mais óbvia nem a mais fácil. Recentemente, li um livro de Geoff Watts, chamado “Product Mastery – From Good to Great Product Ownership” – do qual extraí as ideias abaixo a fim de relatar um pouco a minha experiência.

Antes de mais nada, alguns traços definem um ótimo Product Owner – indicados pela sigla DRIVEN :

Decisive (Decisivo) – Disposto e capaz de tomar decisões com informações incompletas e de permitir aos outros tomarem decisões também.

Ruthless (Implacável) – Ser firme no objetivo de maximizar valor e minimizar risco, mantendo o foco na visão do produto.

Informed (Informado) – Cultivar um apetite voraz para conhecer o máximo possível sobre seu produto e estar preparado para agir com informações incompletas.

Versatile (Versátil) – Responder a mudanças tanto em termos de técnicas de desenvolvimento de produto quanto no estilo de liderança.

Empowering (Empoderado) – Criar um senso de propriedade compartilhada com todos os stakeholders e trazer as pessoas com você na sua jornada.

Negotiable (Negociável) – Confiar na visão das pessoas mas estar aberto a feedback e mudanças.

E algumas atitudes sutis diferenciam um bom de um ótimo PO!

“Bons Product Owners sabem o que é necessário. Ótimos Product Owners sabem o que pode esperar.”: Quando conversamos com o cliente a respeito dos requisitos do nosso produto, normalmente tudo é urgente e deve ser priorizado. Mas será que todos os itens do nosso Product Backlog realmente são necessários? Mesmo dentre os requisitos mais importantes existe uma ordem de criticidade, não basta apenas entender o que é preciso para atender às expectativas do cliente e ajudá-lo no processo de priorização. Uma das habilidades que devemos desenvolver é ter um olhar crítico em relação aos pontos que podem ser excluídos ou movidos para uma próxima sprint. Por exemplo, será que vale a pena se esforçar para realizar determinada tarefa que em poucos meses não será mais necessária devido a uma implementação futura?

“Bons Product Owners conhecem o bastante para tomar decisões. Ótimos Product Owners conhecem o bastante para fazer perguntas.”: Apesar de sermos os donos do produto, por vezes nos vemos diante de questões e impasses que dificultam a tomada de decisões. Mas por que sempre devemos tomar decisões? Às vezes isso não é possível e o mais importante nesse caso é conhecer bem o  produto e o cliente para poder fazer perguntas, questionar, estudar soluções, levantar riscos, sugerir mudanças e indicar possíveis problemas para as pessoas envolvidas.

“Bons Product Owners escrevem boas histórias. Ótimos Product Owners contam grandes histórias.”: Não basta que tenhamos uma Story bem escrita e com todos os detalhes necessários para que a equipe possa trabalhar nela, temos que ser bons contadores de histórias… (igual quando vamos contar os contos de fadas para as crianças). As pessoas passam a entender melhor a necessidade quando sentamos, discutimos, explicamos todo o enredo, fornecemos casos e exemplos. E, principalmente, quando os envolvemos a participar da história!

“Bons Product Owners representam muitas partes diferentes. Ótimos Product Owners sabem que não conseguem agradar a todos.”: Quando estamos falando de um produto, estamos falando de muitos envolvidos. E cada um possui visões, culturas e opiniões diferentes (no meu atual projeto, por exemplo, trabalho com pessoas de várias partes da Europa, Índia e Cingapura). Como POs, precisamos sim levar em conta todos os pontos de vista. Mas devemos analisar com cuidado e pensar sempre no produto: qual seria a melhor solução para que a necessidade seja atendida? Qual impacto isso vai trazer? Quais os possíveis riscos? E nem sempre a melhor solução é a desejada por alguns dos envolvidos. Temos que ter consciência de que não é possível agradar todas as partes e sermos firmes em relação às tomadas de decisões.

“Bons Product Owners evitam erros. Ótimos Product Owners antecipam e cometem bons erros logo de início.”: Erros não são sempre ruins e bons POs sabem que não existe a perfeição. Antecipar problemas e até fazer com que aconteçam logo no início pode evitar que aborrecimentos maiores venham a atingir o projeto mais tarde (às vezes, muito tarde). E também faz com que aprendamos mais sobre o nosso produto.

Ser um Product Owner não é tarefa fácil! Mas certamente é muito gratificante e divertido!

Simone Kunigami é Product Owner da GFT Brasil