Aprendendo sobre Mercado de Capitais, conceitos iniciais


Podemos definir Mercado de Capitais como o encontro de quem fornece recursos financeiros com quem busca esses fundos. Enquanto um deseja a remuneração do seu capital (dinheiro), o outro busca recurso para utilizar em projetos ou então negociar dívidas que possua.

O rendimento, quando atrelado a algum índice de correção como juros ou uma correção pelos índices oficiais de inflação, define a chamada Renda Fixa. O outro tipo de mercado é denominado Renda Variável, negociação de ações de empresas de capital aberto negociados em Bolsa de Valores ou Mercado de Balcão Organizado.

Aqui, temos uma representação da relação entre as partes:

Crédito: Kleber Oliveira e Paloma Martins

Também podemos apresentar o Mercado de Capitais como engrenagens tratando os recursos entre emissores de títulos, intermediadores e investidores, conforme o esquema abaixo inspirado no infográfico do Goldman Sachs:

fonte: http://bit.ly/2NT35jh

O Mercado de Capitais, considerado operações com títulos de empresas de capital aberto (*) pode ser representado da seguinte forma:

Fonte: http://bit.ly/2QfvhhU

(*) Empresa de capital aberto é uma sociedade anônima cujo capital social é formado por ações — títulos que representam partes ideais — livremente negociadas no mercado sem necessidade de escrituração pública de propriedade por parte da pessoa física compradora. As pessoas compradoras das ações são proprietárias apenas de uma parte ideal da empresa.

Agora vamos pensar no início de uma aplicação financeira, considerando o atual cenário econômico, precisamos ser ainda mais criteriosos com relação ao tipo de investimento que realizamos.

Por isso, antes de procurar outras alternativas de aplicação, você deve pensar que tipo de investidor você é, seja pelo viés da experiência seja pelo comportamento. Para isso, nasceu a interpretação dos questionários de suitabitity.

O que é Suitabitity?

É a maneira com que as instituições financeiras classificam o tipo de investidor, a partir de normas do Banco Central do Brasil e Conselho de Valores Mobiliários (CVM), basicamente sob três categorias: conservador, moderado e agressivo/ arrojado. Na figura abaixo temos as características de cada perfil: 

Fonte: substanciaeaparencia.blogspot.com disponível em http://bit.ly/2NW6k9p

Outra característica que deve ser levada em consideração é a experiência em investimentos que é classificada por: iniciante, antenado e expert.

Para definir qual investimento realizar há outros fatores que influenciam tais como: prazo, risco, impostos, etc.

Mercado de Capitais

O Mercado de Capitais é formado por instituições financeiras, que são os intermediadores. Logo abaixo, podemos ver como é a estrutura Sistema Financeiro (SFN) e perceber que cada tipo de aplicação/poupança que desejamos fazer é associada aos operadores do mercado e também aos órgãos reguladores (Normativos) e fiscalizadores (Supervisores) de todo o sistema.

Estrutura do sistema financeiro nacional Fonte: http://bit.ly/2oNkK0A

Como fazer um investimento/aplicação? Para realizar um investimento, independente do prazo, devemos procurar um banco de investimento ou, conforme o caso, uma corretora de valores.

Mesmo quando usamos o aplicativo do banco ou fazemos a aplicação na agência em que temos conta bancária, os produtos ofertados são administrados pelo banco de investimento, pela corretora de valores associados – e não ao banco com quem nos relacionamos. Isso ocorre porque esses produtos devem ser geridos por setores especializados.

Essas entidades financeiras são reguladas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), Banco Central (BC), Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e B3 (Bolsa e Cetip), que possuem poder regulatório.

Dessa forma, quando realizamos uma aplicação, temos a certeza o produto tem lastro de investimento (garantia implícita do ativo financeiro), seja uma cota de fundos, ações, CDB e outros, o que garante segurança e subsídios para a fiscalização.

Banco de Investimento – O Banco de investimento, por definição, é uma entidade privada constituída sob a forma de sociedade anônima e sem contas correntes de movimento para seus clientes, especializada em tipos de operações de:

  • Investimento: captam recursos via depósitos a prazo, repasses de recursos externos, internos e venda de cotas de fundos de investimento por eles administrados.
  • Financiamento: Disponibiliza recursos a curto e longo prazo.
  • Administração de recursos de terceiros

Corretora e Distribuidora de Valores  – As distribuidoras e corretoras de valores são similares às corretoras de imóveis, em que há a oferta de um determinado ativo  e as figuras do comprador e vendedor. Essa atividade é chamada de intermediação.

Oferecem serviços como plataformas de investimento pela internet (home broker), consultoria financeira, clubes de investimentos, financiamento para compra de ações (conta margem) e administração e custódia de títulos e valores mobiliários dos clientes. Na remuneração pelos serviços, essas instituições podem cobrar comissões e taxas.

Elas podem fazer parte de um conglomerado financeiro. Logo, quando realizamos operações em bolsa ou de balcão, essas operações são enviadas às corretoras ou distribuidoras.

Imagem: Kleber Oliveira

Até aqui, já sabemos como identificar nosso perfil de investidor e quem realiza o investimento em nosso nome no mercado de capitais. 

Imagem: Kleber Oliveira

Nos próximos posts veremos as opções de investimento tanto em Renda Fixa e Renda Variável. Não perca!