Como as tecnologias exponenciais impactam o mercado financeiro?


O sistema financeiro vive uma corrida contra o tempo desde que a mais recente revolução tecnológica, agora impulsionada por soluções exponenciais, avança globalmente com inteligência artificial, impressoras 3D, carros e robôs autônomos. Em outros tempos, com as tecnologias tradicionais, o ser humano sempre ocupou papel central nas transformações; hoje, com as exponenciais, as máquinas começam a ser a promotoras das mudanças. A partir desse novo ambiente, o mercado financeiro passa a conviver com conceitos novos, como Open Banking, Cognitive Banking, Automation Banking e Augmented Banking.

Essas novas denominações compõem o Exponential Banking e englobam soluções como blockchain, Internet das Coisas, Bots, Realidade Virtual, machine e deep learning, entre várias outras. São soluções com a missão de transformar as jornadas dos consumidores, se debruçando tanto sobre as áreas de negócios e tecnologia quanto sobre a organização e cultura dos ambientes corporativos, tamanhos são o impacto e os desafios da transformação digital.

A partir dessas soluções, o mundo se amplia e permite serviços, produtos e ferramentas cada vez mais conectadas, abertas e personalizadas para os clientes e parceiros, como ilustram os quatro pilares abaixo:

Open banking – Alavanca tecnologias exponenciais não apenas para cumprir com o PSD2 e o GDPR, mas também para explorar novos modelos de negócios baseados em marketplaces abertos e conectados.

Augmented Banking – Aprimora o relacionamento dos clientes com o banco, fornecendo assistência personalizada e serviços de consultoria, como chatbots, robo-advisors ou novas maneiras de interagir com realidade virtual e aumentada.

Automated Banking – Baseia-se na tendência de eficiência operacional e na robotização de processos; consiste em automatizar atividades hoje realizadas manualmente.

Cognitive Banking – Permite que os bancos criem soluções de inteligência artificial com base no poder da Big Data e da Fast Data para obter previsões mais precisas.

Esse acesso a tecnologias muito poderosas não é mais apenas uma questão das grandes organizações ou entidades com recursos. As fintechs que surgem competindo por espaços com grandes instituições financeiras são um exemplo.

Além disso, as tecnologias exponenciais possibilitam jogar luz sobre grupos que no passado recente eram despercebidos ou não recebiam a atenção suficiente dos bancos. Por exemplo, há alguns meses, o BBVA Espanha lançou uma ferramenta no desenvolvimento para clientes cegos, permitindo-lhes localização, orientação e retirada de dinheiro de caixas eletrônicos bancários de uma forma simples, assistida e utilizável.

O exponential banking é a evolução natural no processo de digitalização cada vez mais rápida na indústria. Para os bancos e demais instituições do segmento financeiro, agora é a hora para a adoção de oportunidades geradas pelas tecnologias exponenciais. É um caminho crucial para criar um sistema inovador e estruturado para os desafios do futuro em qualquer companhia.

Este artigo foi publicado originalmente no Computer World.