A GFT presente no primeiro Fórum CEO Brasil


No início de setembro, entre os dias 7 a 10, a GFT participou do Fórum CEO Brasil, evento que reuniu executivos das mais importantes empresas brasileiras e multinacionais para promover conhecimento, discutir negócios e, principalmente, o papel dos CEOs na transformação social e na reconstrução do mercado de brasileiro.

Durante os 3 dias de evento, que ocorreu em um resort localizado no município de Mata de São João (BA), cerca de 100 empresários e presidentes das mais importantes empresas do país puderam assistir palestras e participar de sessões, painéis e atividades onde temas como transformação das empresas, diversidade, inclusão social e gênero, participação das mulheres nas lideranças corporativas e engajamento. Além disso, os participantes deste fórum de executivos do Brasil puderam trocar experiências e expandir seu networking corporativo.

Para alavancar os melhores resultados e transformar o atual cenário corporativo brasileiro, é preciso que as empresas trabalhem melhor questões de diversidade e engajamento, por exemplo. Os executivos que estiveram presentes no Fórum CEO Brasil, como formadores de opinião, podem mudar a realidade brasileira e ajudar os diferentes públicos das empresas a acreditar e realizar tais mudanças. 

Segundo Marco Santos, managing director Latam do Grupo GFT que participou do CEO Brasil, este é um importante encontro para falar sobre inclusão social, diversidade e, principalmente, formas de transformar a sociedade começando pelo ambiente empresarial.

Marco, na sua opinião, como os CEOs podem ajudar a transformar o mercado brasileiro?

Marco Santos – O básico que se espera dos líderes das empresas é que eles conduzam as operações da companhia e criem estratégias para gerar valor e retorno para seus stakeholdes. Mas os CEOs também têm um papel importante na transformação social, de liderança e incentivo a um processo de aprendizado contínuo, a inovação, a produtividade assertiva e, principalmente, de transformar o ambiente empresarial em ambiente inclusivo à diversidade de gênero e de pessoas.

As pessoas em cargos diretivos podem e devem se preocupar em criar um maior engajamento ao entorno social da companhia, de modo que a sociedade como um todo, e não apenas a empresa, cresça e se desenvolva.

Por exemplo, do mesmo modo que um conjunto de más decisões de uma alta gestão de grandes instituições americanas acarretou a crise de 2008 e foi capaz de transformar o mercado mundial, os CEOs e diretores, ao apoiarem e investirem em ações de incentivo à educação, inclusão social e qualidade de vida e bem estar do funcionário e de sua família, podem transformar e impactar positivamente o mercado e a sociedade.

Quais as melhores formas de engajar os colaboradores de uma empresa?

Marco Santos – Creio que a melhor forma de conseguir isso é fazer com que o colaborador sinta um significado e um propósito em seu trabalho individual dentro da organização – que ele entenda de verdade sua contribuição e se orgulhe de seu esforço.

A partir do momento em que ele entende isso e consegue sentir a sua contribuição nos objetivos da empresa, ele sente-se motivado a se engajar em um propósito maior. Por exemplo, o meu propósito de trabalho é elevar a GFT como a empresa de referência em inovação e transformação digital para o mercado brasileiro e ser um Great Place to Work no país. Isso é algo que me motiva e quero passar esse entusiasmo adiante para as minhas equipes, para que estas estejam alinhas e envolvidas e me ajudem a alcançar esse propósito da melhor maneira possível.

Na GFT por exemplo, incentivamos nossos colaboradores a balancear trabalho duro com diversão e qualidade de vida, por isso investimos em espaços de descompressão e estamos evoluindo nossa política de Home-office.  Além disso, valorizamos muito o nosso capital humano e por esse motivo estamos sempre investindo em processos e iniciativas que estimulem o intercâmbio de ideias e a valorização das pessoas, seja por meio de treinamentos, webinars, programa de mentoring, programa de indicação, ou mesmo a GFT Band, nossa iniciativa para potencializar o perfil criativo e inovador de nossos profissionais.

Este ano, Marika Lulay assumiu como CEO da GFT, em uma indústria onde homens são a grande maioria – principalmente em cargos de chefia. Quais medidas você acredita que ajudem a criar uma maior diversidade de gênero em nossa indústria?

Marco Santos – Acredito que há 2 medidas essenciais para que haja uma maior inclusão de mulheres na indústria de TI. Uma delas é fazer um trabalho de base para que mais mulheres entrem em cursos de engenharia, matemática, ciências da computação e afins. É de vital importância que haja uma maior participação feminina no mercado de trabalho, mas antes, é preciso investir e incentivar a formação, treinamento e qualificação nestes campos.

Outro passo, seria que nós, como lideres, busquemos adotar ações pragmáticas para incentivar uma maior diversidade de gênero em todos os níveis, dar oportunidades para todas as pessoas crescerem e se desenvolverem e pensar em medidas para acabar com a desigualdade de salários e de oportunidades entre homens e mulheres que ocupam o mesmo cargo, por exemplo.

Um ponto que acho importante ressaltar é criar um ambiente 100% igualitário tanto no trabalho como na escola e universidade. Eu sou pai de duas meninas e quero um futuro onde elas possam desenvolver uma carreira plena em qualquer área.

A GFT acredita e entende a importância de projetos e eventos que incentivam o empoderamento feminino na programação, e por isso, vamos sempre apoiar eventos que incentivam mais meninas e mulheres a aprenderem e se aventurarem no mundo da tecnologia da informação e da transformação digital.

Obrigada pela entrevista, Marco!


Confira a cobertura do evento