“Recomendo a todos que desejam ter uma experiência assim que corram atrás desse sonho”


Para atender à crescente demanda de projetos de Tecnologia da Informação para grandes instituições financeiras internacionais, a GFT Espanha procura 100 profissionais a partir de suas unidades de negócios latino-americanas, localizadas no Brasil, México e na Costa Rica. Dessas 100 oportunidades, 50 são específicas para profissionais brasileiros especialistas em desenvolvimento front-end e back-end, Big Data e arquitetos com bons conhecimentos em tecnologias como Java, Spring, Hibernate, HTML5, JavaScript, Angular, React, Python, Hadoop, Spark ou com experiência em desenvolvimento de API’s.

Elloá Campos Lisbôa já está com a família GFT há 6 anos. No início de 2017, após algum tempo atuando como Especialista em Sistemas na GFT Brasil, ela decidiu dar um salto na carreira, se candidatar para uma das oportunidades de emprego na Espanha e agora faz parte do time da GFT em Madri. Nós conversamos com ela para saber um pouco mais sobre como está sendo sua experiência no país, tanto pessoal como profissionalmente.

“Estava muito ansiosa pois não conhecia a Espanha e meu conhecimento de castelhano era quase nulo, porém me senti muito segura com toda a estrutura que a GFT me proporcionou”.

Por que você decidiu vir trabalhar na Espanha? Como você ficou sabendo dessa oportunidade?

Elloá: Eu trabalhava em um projeto cujo gerente era um brasileiro que já tinha se mudado para a Espanha através da GFT. Durante uma conversa, perguntei como estava sendo sua experiência de viver e trabalhar em Madri e fiquei muito interessada com a perspectiva de construir uma carreira internacional. Conversei com o meu marido sobre isso e ele também ficou empolgado com a possibilidade da nossa mudança e embarcar nessa aventura. Por ventura, tinha uma vaga muito compatível com o meu perfil em aberto naquele momento em um outro projeto desse gerente, então me candidatei e o processo começou.

Como sua família reagiu quando você disse que estava vindo para cá?

Elloá: Eles sempre me deram palavras de motivação e apoio, mesmo que um pouco tristes pela distância. Mas eles entenderam que era um sonho meu e que seria uma grande oportunidade de aprendizado – tanto para a vida quanto profissionalmente. Meus amigos e meus colegas da GFT também me apoiaram nesse desafio.

Como foi o processo de mudança para a Espanha?

Elloá: Depois que passei no processo seletivo e fui aprovada, vim para Madri para dar entrada na minha permissão de trabalho, e isso demorou mais ou menos três meses. Nesse período que fiquei aqui, meu marido veio e juntos procuramos um apartamento, pois queríamos ter um apartamento já alugado e preparado para quando viéssemos em definitivo e não precisássemos ficar em hotel.

 Como foi sua recepção na Espanha? Você está feliz por ter vindo?

Elloá: Fui muito bem recepcionada por todos, desde o começo já me senti em casa. As pessoas da GFT me acolheram bem e também fiz amizades com as pessoas locais da igreja que passei a frequentar. Esses amigos que me ajudaram muito no processo de adaptação, nas questões do dia-a-dia e me fizeram companhia no período em que fiquei aqui sozinha. Hoje em dia os considero como família e sou muito feliz aqui.

O que você sentiu no seu primeiro dia aqui (nova casa, pessoas novas)?

Elloá: Estava muito ansiosa pois não conhecia a Espanha e meu conhecimento de castelhano era quase nulo, pois no projeto e também para concorrer a uma oportunidade aqui, ter um bom nível de proficiência na língua inglesa é essencial, mas no dia a dia fora do ambiente de trabalho, não. Porém me senti muito segura pois sabia que contava com toda a estrutura e o apoio da GFT. Claro que alguns desafios e barreiras vão aparecer, mas isso faz parte de uma experiência como essa. O hotel em que fiquei quando cheguei é perto do estádio Santiago Bernabeu e, como cheguei num domingo pela manhã, fui andar para explorar as redondezas e conhecer a culinária local. Lembro que a minha primeira refeição em Madri foram huevos a la española e de sobremesa natillas.

Como foram seus primeiros dias aqui?

Elloá: Foram de muito aprendizado e adaptação! Tanto na esfera profissional quanto para os costumes locais.  Por exemplo, aqui é comum almoçar entre 13h30 e 15h, e se você for num restaurante antes das 12h, eles ainda estão servindo o café da manhã! No jantar, os restaurantes geralmente abrem lá pelas 20h30. Isso no começo pra mim foi bem difícil, mas hoje já estou bem acostumada.

Conte-nos uma anedota, alguma história divertida que aconteceu com você nesse período de adaptação Espanha.

Elloá: Foram várias situações engraçadas que vivi desde que cheguei, principalmente pelo idioma, que, por se parecer muito com o português, às vezes pensava que uma palavra tinha um significado quando na verdade tinha outro totalmente distinto. Lembro que logo nos meus primeiros dias, fui jantar num restaurante chinês que servia como aperitivo chamado pan de gamba, e até porque o pão não estava cheirando muito bem e nem com uma aparência muito boa, fiquei com receio de ser pão de gambá e não comi, rs. Só depois que fui descobrir que gamba é camarão.

Você recomendaria essa experiência aos seus amigos?

Elloá: Sim, recomendo! E minha dica é, se você quer vivenciar uma experiência assim, corra atrás desse sonho e não tenha medo de enfrentar desafios. Nesse pouco tempo aqui tive um crescimento pessoal, espiritual e profissional muito grande – e isso é algo para vida inteira! Aprendi a dar valor pra muitas coisas que antes, por serem coisas comuns no meu dia-a-dia, que nunca tinha refletido sobre seu verdadeiro valor Uma experiência como essa força que você reveja conceitos pessoais e também profissionais, e isso te enriquece muito.

Com o que você trabalhava antes de vir para Madri?

Elloá: Antes de vir para Espanha, eu já trabalhava na GFT Brasil desde 2011. Como meu gerente atual  coordenava dois projetos, um no Brasil, no qual eu trabalhava, e esse projeto no qual faço parte aqui na Espanha, minha transição foi muito tranquila. Um pouco antes de vir para Espanha,  eu já estava alocada a partir do Brasil e já trabalhando no projeto atual.

Como foi seu primeiro dia no escritório em Madri? Como é o seu dia a dia? O que você faz?

Elloá: Foi tranquilo pois, como eu já estava atuando no projeto antes de vir para cá, minhas tarefas eram as mesmas que eu já desenvolvia a partir do Brasil. Fui muito bem recepcionada pelos meus colegas de projeto e por todos da GFT Espanha, eles são muito solícitos e sempre me ajudaram (e me ajudam) com as dúvidas que tenho no dia-a-dia.

O projeto em que trabalho atualmente é para um cliente na Inglaterra. Nesse projeto atuo como Dev Leader e Functional Analyst e sou responsável por facilitar as cerimônias Scrum que temos, além de gerenciar e organizar as tarefas, ajudar meus companheiros de time em qualquer dúvida ou impedimentos que eles possam ter, ajudar na revisão de seus códigos para garantiar a qualidade e, sempre que possível, desenvolvo também (que é umas das minhas paixões).

Você já teve experiência em trabalhar em outros países?

Elloá: Não, essa foi minha primeira experiência em trabalhar fora do Brasil.

Você está feliz trabalhando na GFT Espanha?

Elloá: Sou muito feliz na GFT Espanha e muito grata pela oportunidade e por todo suporte que me deram e continuam me dando!

“Recomendo a todos que desejam ter uma experiencia assim que corram atrás desse sonho. Nesse pouco tempo aqui tive um crescimento pessoal, espiritual e profissional muito grande, aprendi a dar valor pra muitas coisas que antes eram tão comuns no meu dia-a-dia que nunca tinha refletido o quão valiosos eram.”

 


 

E você? Gostaria de viver uma experiência de trabalho na Espanha?

Acesse nosso site para mais informações e enviar o seu CV: http://bit.ly/2v2x53l ou gft.com/empleo.