Entrevista com Ulrich Dietz, CEO da GFT: 30 anos de sucesso e rumo a novos desafios


Você está renunciando por iniciativa própria ao cargo de Managing Director e CEO da GFT em 31 de maio de 2017. Um grande passo que certamente é uma surpresa para muitos, especialmente neste momento. Por que agora?

Dietz – Pessoalmente, não poderia haver um melhor momento. Estamos celebrando 30 anos de GFT este ano. Eu tenho muito orgulho do que alcançamos nestas três décadas. Começamos como uma pequena empresa familiar na Floresta Negra e hoje somos uma empresa internacional com quase 5.000 colaboradores em 12 países, com uma sólida base de clientes que confiam em nossos serviços e soluções digitais – clientes que são reconhecidos no mundo inteiro. Além do notável crescimento que tivemos nestes 30 anos, também vivenciamos momentos marcantes e inesquecíveis. Tudo o que eu queria alcançar com a GFT se tornou uma realidade. Para mim, a abertura de capital (IPO) em 1999 foi um dos eventos mais emocionantes da história da empresa e que nunca irei esquecer. Em 2011, demos início ao CODE_n, nossa plataforma de inovação. Entramos para o TecDax em 2015. Neste mesmo ano, também fizemos jus à nossa estrutura internacional quando passamos de uma sociedade anônima para uma Sociedade Europeia (Societas Europaea, SE).

Mas claro, não foram apenas as experiências positivas, como também as adversidades que enfrentamos últimos 30 anos que fizeram da GFT o que somos hoje: uma parceira de tecnologia para a transformação digital do setor financeiro. Depois de três décadas de entrega e paixão por aquilo que fazemos, posso finalmente dizer: é hora de explorar novos caminhos.

Ulrich Dietz continuará a trabalhar no Corporate Center da GFT em Stuttgart no futuro.

Quais desafios você vai encarar depois de 30 intensos anos na GFT?

Dietz – Primeiramente, não é que eu esteja virando as costas para a empresa. Como futuro Presidente do Conselho de Administração, continuarei a tomar decisões estratégicas. Então eu ainda estarei “a bordo”.

Para o futuro próximo, o meu principal foco será desenvolver o CODE_n – uma iniciativa de especial importância para mim. O CODE_n representa uma ideia que sempre foi muito importante para mim e também para a GFT: nós queremos cultivar nosso espirito inovador e mostrar como isso é, de fato, parte do nosso DNA. No CODE_n, nós criamos um ecossistema que reúne a vanguarda digital em todo o mundo. É importante desenvolver ainda mais esse enorme potencial. Essa iniciativa de inovação é gerenciada a partir do CODE_n SPACES, que está localizado em nosso Corporate Center em Stuttgart – então eu não estarei abandonado fisicamente o navio fisicamente tampouco.

Além disso, eu tenho alguns outros planos os quais prefiro não entrar em detalhes por ora. Mas vamos colocar da seguinte maneira: ainda há muito a fazer, e a própria digitalização vai me manter bem ocupado. Então não, eu não estou pronto para relaxar e ‘pegar leve’ ainda. A não ser para ler um bom livro com mais frequência. (Risos)

Marika Lulay, como sua sucessora, irá assumirá as responsabilidades de CEO no futuro. Você prevê grandes mudanças para a empresa?

Dietz – Quando fundei a GFT em 1987, meu objetivo era criar uma companhia que estivesse sempre na vanguarda da inovação e tecnologia. Depois de quase 15 anos de estreita colaboração, eu posso afirmar que Marika e eu dividimos a mesma visão. Marika tem como objetivo promover a transformação digital no setor financeiro e dar continuidade ao crescimento da GFT. Por isso, definitivamente não haverá nenhuma mudança fundamental na estratégia e no foco da empresa. Afinal de contas, não estamos trazendo um estranho a bordo. Ela conhece a GFT extremamente bem e trabalhou fortemente a internacionalização da empresa. Além disso, ela é a principal responsável pelo sucesso do nosso “Modelo de Entrega Global”. Por estes motivos eu tenho plena confiança nela e sei que a GFT está em boas mãos. Quero não apenas agradecer a Marika, a quem agora eu estou entregando as rédeas da empresa, como também agradecer aos nossos colaboradores em todo o mundo, que confiaram em mim e deram todo o apoio ao longo de todos estes anos. Eles ainda vão ouvir de mim no futuro!

Obrigada pela entrevista, sr. Dietz!