O que você precisa: Mentoring ou Coaching?


Mais do que um mero modismo ou uma estratégia de negócios, Mentoring e Coaching surgiram como instrumentos fundamentais para o desenvolvimento de talentos.

Contar com a orientação de uma figura sênior, um mentor, é algo muito importante para ajudar a canalizar esse talento rumo a um desenvolvimento progressivo e produtivo. E, mesmo em certos níveis, é importante ter a figura de um coach que “sopre nossas brasas”, como diria o escritor e especialista em coaching Leonardo Wolk, e, assim, avivar e liberar todo o nosso potencial. Mas então, o que precisamos: Mentoring ou Coaching?

Business mentoring

Ambas são disciplinas que facilitam o desenvolvimento de talentos em esferas individuais e organizacionais, porém, sua orientação e método diferem bastante. Enquanto o Coaching centra-se no auto-conhecimento, permitindo que a pessoa encontre suas próprias respostas, o Mentoring procura orientar o indivíduo profissionalmente por meio da transferência de conhecimentos e experiências. Poderíamos dizer ainda que o Coaching é a ferramenta para desbloquear o potencial ao “ajudar a aprender”, enquanto o Mentoring desenvolve talentos ao “ensinar a aprender”.

Então, seguindo esse raciocínio, o mentor representa a figura do conselheiro, do especialista com uma vasta experiência e senioridade dentro de uma organização, que transmite esse conhecimento ajudando outros ao fornecer informações, conselhos e insights sobre o que será mais promissor para a sua carreira profissional. O coach, ao contrário do mentor, não precisa ter experiência específica no campo profissional do coachee (orientado). Sua tarefa é mais voltada à geração de auto-conhecimento por parte do coachee, potencializando sua capacidade de desenvolvimento profissional, ou dito de outra forma, o coach ajuda o coachee a encontrar suas próprias respostas, a encontrar o que está limitando o seu desenvolvimento profissional e como resolver isso.

Mas, independente se escolhemos Coaching ou Mentoring, no final, valores como compromisso, responsabilidade, respeito e honestidade irão garantir o sucesso de ambos os processos de desenvolvimento de talentos. Portanto, é importante abordar esses processos como uma relação a dois, com responsabilidade de ambas as partes, com comunicação de duas vias, buscando em cada sessão a sinceridade e o respeito mútuo. Somente assim seguiremos em frente na mesma direção.

Por mais de uma década, a GFT aposta em desenvolver o talento de seus profissionais ao “ensinar a aprender”, através do Mentoring. Nós compreendemos e aplicamos Mentoring em sua totalidade: propondo metas, identificando necessidades de formação, lidando e resolvendo dúvidas sobre projetos, papéis e tarefas, etc. Atualmente, com mais de 400 profissionais, a GFT Brasil tem uma estrutura de Mentoring composta por cerca de 101 mentores – que recebem todo o treinamento e o apoio necessário para desempenhar o seu papel. Na GFT, será o mentor quem irá garantir que as carreiras de nossos colaboradores tenham o sucesso que queremos, mas sempre em sincronia com seu mentado.