Estudos de caso de Open Innovation (Inovação Aberta) no setor financeiro (III)


 

Requisitos para a inovação aberta

Para que se possa beneficiar- se do sucesso da inovação aberta são necessários certos requisitos. E acima de tudo, os objetivos devem ser bem definidos, como, por exemplo:

  • É necessário desenvolver novos produtos e serviços?
  • Se tratam realmente de novas tecnologias?
  • Que novos mercados devem ser identificados?

A iniciativa para uma inovação aberta bem sucedida deve estar intimamente ligada aos objetivos estratégicos da empresa, por isso, é necessário conhecer não só a empresa, como também as partes interessadas.

open_innovation_howto-500x456

Seis aspectos de inovação aberta

O relatório da GFT sobre inovação aberta aborda seis áreas identificadas por Daniel Fasnacht, Diretor Executivo da Julius Baer (Suíça), tendo em vista os prestadores de serviços financeiros:

from_closed_innovation_to_open_innovation

  • Mercado: globalização, mudanças macroeconômicas, consolidação.
  • Política e regulação: anistias, a luta contra o crime, confidencialidade, crise financeira.
  • Clientes: grandes expectativas, baixa fidelidade, melhor informação, a demanda por produtos de outros fornecedores.
  • Tecnologia: trabalho eficiente, inovação contínua, normalização, arquitetura flexível.
  • Economia: crescimento econômico ou declínio, pressão por custos / ganhos, habilidades centro / terceirização, pesquisa, evolução.
  • Competição: negócio tradicional, eliminando intermediários.

 

Portanto, os prestadores de serviços financeiros podem se beneficiar desta ordem sistemática em todos estes domínios. Alguns já estão fazendo isso, como demonstrado pelos exemplos a seguir.

 

As histórias de sucesso em bancos

Novos padrões de serviço através de crowdsourcing

Sob o slogan “Se eu fosse o meu cliente”, o banco Hypo Vereinsbank, em 2012, estabeleceu uma meta para desenvolver e implementar novos padrões de serviço ao cliente e assessoria para oferecer excelente experiência ao cliente. Ao longo do processo, era desejado envolver ativamente o maior número possível dos 8.000 funcionários das 855 filiais. E isso foi conseguido através de uma plataforma interna de rede social, que deu origem a um projeto de crowdsourcing.Em apenas seis semanas foram recebidas mais de 750 sugestões e contribuições de mais de 2.000 empregados. E graças à inovação aberta, o projeto foi rápido e, desde o início, obteve ampla aceitação.

BBVA Open Talent

Em uma plataforma aberta foram apresentados os mais diferentes modelos de negócios que participam em uma competição internacional para startups com base na internet e com foco no setor financeiro. Os participantes dispõem de uma plataforma para alcançar visibilidade e têm como incentivo um prêmio em dinheiro. BBVA, por sua vez, obtém um panorama exclusivo e ideias sobre as mais recentes inovações.

O banco das ideias

O Banco Commonwealth da Austrália envolve ativamente seus clientes na gestão da inovação com o “Idea Bank“, uma plataforma própria na Internet onde clientes podem apresentar as suas ideias, discuti-las e votar em seus favoritos. O prêmio de incentivo de participação é de $ 10.000 dólares australianos. O banco obtém desse modo, de maneira tão fácil e acessível, uma lista interessante e cheia de itens sobre como melhorar a sua lista de clientes, e por outro lado, os clientes sentem que o seu banco os valoriza.

Your Bank

O banco britânico Barclays criou um site no qual os clientes apresentam suas ideias para que um melhor serviço ao cliente seja proporcionado e onde se pode votar nas ideias e sugestões de outros. O Barclays apresenta seu feedback e os informa sobre o progressos feitos.

 

Conclusão

A inovação aberta é uma caminho ideal para encontrar e desenvolver novas ideias. O conhecimento especializado interno e externo pode fluir de forma constante e em conjunto, no processo atual de inovação. Além disso, a aceitação das mudanças pode ser influenciada positivamente pela transparência e inclusão de clientes e / ou funcionários. Em particular, os bancos podem não só descobrir novas possibilidades para a criatividade e ideias, mas, ao mesmo tempo, podem ser aproveitadas como medidas para construir confiança.

Você pode ler os posts anteriores aqui:

Como obter sucesso através da inovação: A inovação aberta no setor financeiro

Aumente a capacidade de inovação: A inovação aberta no setor financeiro

 

Hansjörg Leichsenring é especialista do setor bancário, inovação, redes sociais, gestão de mudança, atendimento ao cliente e vendas, e trabalha como consultor de empresas e Interims-Manager em instituições financeiras. Em seu blog, “Bank Blog” (www.der-bank-blog.de), ele escreve sobre soluções para o setor financeiro. Ele também é um palestrante e moderador muito requisitado na Alemanha e no exterior.

 

 

GFT Blue Paper “Open Innovation in the Financial Services Sector – Why and how to take action”. Baixe gratuitamente em nosso site gft.com