O potencial da biometria como sistema de autenticação


GFT participa de um estudo do Deutsche Bank Research sobre a área.

A biometria tornará a vida mais cômoda? é segura o suficiente? É um grande avanço ou ainda não está madura para ser implementada?

O que está claro é que está ganhando mais importância devido ao aumento dos serviços e negócios através da internet, apesar de ainda enfrentar algumas opiniões céticas sobre sua implementação e uso. A autenticação por reconhecimento de voz e outros tipos de autenticação biométrica se popularizarão de forma definitiva? Complementarão os procedimentos tradicionais de identificação ou os substituirão? Miguel Reiser, chefe de Business Marketing no Grupo GFT, falou com Bernd-Josef Kohl, chefe de International Business Consulting da GFT, sobre as tendências e os desenvolvimentos nessa área. Bernd, como um especialista pela GFT, participou de um estudo do Deutsche Bank Research “Der Mensch vermessene – Biometrische Erkennungsverfahren Internetdienste móvel und” (O homem medido: Procedimentos biométricos de reconhecimento e serviços de internet móvel).

Bernd-Josef Kohl – Chefe de International Business Consultants

Miguel Reiser: Por que um estudo sobre biometria?

Bernd-Joseph Kohl: Os sistemas de reconhecimento biométrico são cada vez mais importantes como tecnologia de segurança. Um dos motivos é que os mecanismos de identificação tradicionais têm pontos fracos; o outro motivo é o fato de que as possibilidades de aplicação da biometria são cada vez mais variadas, especialmente no campo de transações financeiras. Ambos tem como consequencia o forte desenvolvimento deste mercado. Para mim foi muito emocionante poder aprofundar a questão a partir de minha experiência prática.

MR: Existem ainda grandes inseguranças sobre os sistemas biométricos?

BK: Para milhões de usuários de redes sociais, a identificação e vinculação de fotos de pessoas de forma automática tornou-se habitual. Embora esta questão ainda seja controversa, a tendência é que aumente. Outro exemplo: aplicações de voz para telefone celular e a configuração de perfis de voz que as aplicações necessitam já não são novidade e tem uma recepção cada vez maior.

MR: Isso também se aplica ao setor bancário?

BK: Não, neste momento a biometria ainda está dando seus primeiros passos. Em alguns países como o Japão ou Brasil, os caixas automáticos com biometria de impressão digital ou de toque já estão nas ruas. Na Europa ainda precisamos de algum tempo para que os clientes saquem dinheiro usando este procedimento. Basicamente podemos dizer que a biometria foi implementado em áreas específicas, como em aeroportos ou nos controles de acesso das empresas, mas ainda não atingiu o mercado de massa.

Uma maior aceitação nesta área depende em grande parte da estratégia de introdução adotada. Na maioria dos países europeus, a proteção dos dados do usuário é uma questão muito importante, o que implica que os bancos precisam abordar a questão com cautela. Em última análise, o balanço final dependerá de fatores de segurança, conveniência e custo.

MR: Então, não é possível seu uso num futuro próximo pelo grande público?

BK: Sim, claro que é possível. Existem muitas possibilidades, como nas comprovações de legitimidade, controle de acesso ou atendimento, em terminais de ponto de venda (POS), bem como métodos de pagamento, tanto móveis como físicos ou com cartão de crédito ou débito . Já estão sendo feito testes com caixas automáticos biométricos ou características biométricas incluídas nos cartões bancários.

MR: Esses procedimentos de identificação cresceram comparados aos procedimentos tradicionais?

BK: A médio e longo prazo a biometria substituirá as tarjas magnéticas dos cartões, assim como os códigos PIN e TAN. Eu presumo que serão impostos dois procedimentos: a biometria de voz no âmbito das aplicações de telefonia móvel  e o scanner digital para os cartões.

MR: E por onde segue este caminho? Onde estará a biometria em 2030?

BK: Há muitas opções de implantação empolgantes que podem acontecer na área de sistemas biométricos: por exemplo, a casa inteligente, com aparelhos inteligentes que se adaptem as necessidades dos residentes. A união em rede dos eletrodomésticos cotidianos ganhará importância. Além disso, também há um grande potencial na área da segurança, saúde , mercado automobilístico e também no setor financeiro: já em 2013, muitos bancos de prestígio tem previsto abandonar alguns dos métodos de autenticação tradicionais como o mTAN ou o iTan e desenvolver um novo procedimento durante o próximo ano. Nesta área haverá muito o que fazer em um futuro próximo.

O estudo “Der Mensch vermessene – Biometrische Erkennungsverfahren Internetdienste móvel und” (O homem medido: Procedimentos de reconhecimento biométrico e serviços de Internet móvel) está disponível gratuitamente em Alemão e Inglês no site da GFT.